Amigos importam pães e doces da Alemanha, criam franquias e faturam R$ 7 mi


Os amigos Tiago de Caires Mendes, 37, e Tiago Turatto, 37, acharam que faltavam estabelecimentos dedicados à panificação germânica em São Paulo. Em 2011, abriram em Campinas (SP) uma importadora de pães da Alemanha: a Das Brot (o pão, em alemão). No ano passado, a empresa faturou R$ 7 milhões. O lucro não foi divulgado.

O investimento inicial foi de R$ 1 milhão. A Das Brot tem hoje seis lojas físicas: duas próprias (uma em São Paulo e outra em Campinas) e quatro franqueadas (duas em São Paulo e duas em Campinas).

Inicialmente, a proposta dos sócios era apenas trazer os alimentos congelados para revenda no Brasil, mas, segundo eles, identificaram que havia uma alta procura por esse tipo de produto e decidiram abrir a padaria.

Em 2013, formataram a empresa para se tornar franquia. A primeira nasceu em 2014, no bairro Barão Geraldo, em Campinas. Em 2016, a marca chegou a São Paulo.

Segundo Mendes, outras cinco lojas estão em fase de preparação para a abertura. A primeira fora do Estado de São Paulo deve ser inaugurada no primeiro trimestre de 2018 em Florianópolis (SC). A meta é chegar a 50 franquias até 2020, de acordo com os sócios.

Franquia a partir de R$ 350 mil

Para a instalação de uma franquia, a loja deve ter área de, no mínimo, 200 metros quadrados e 14 funcionários, segundo Mendes.

“O ambiente de preparação dos alimentos é limpo, não há fritura nem exaustão. Todos os pães e doces servidos vêm congelados. Então, não há chapa, cozinheiro e padeiro”, afirma. Segundo ele, os produtos são levados ao forno elétrico, onde permanecem de 10 a 20 minutos.

Veja os dados da franquia, fornecidos pela empresa:

Investimento inicial: de R$ 350 mil a R$ 500 mil (inclui taxa de franquia e capital de giro)
Faturamento médio mensal: de R$ 130 mil a R$ 200 mil Lucro médio mensal: não divulgado pela empresa Royalties: 2% ao mês sobre a receita bruta
Retorno do investimento: entre 24 a 36 meses

Brezel é um dos produtos mais vendidos

O cardápio da Das Brot tem mais de 80 itens, entre pães, doces, brezels, croissants, sanduíches, hot dog alemão e bebidas, além de opções para brunch, almoço e aperitivos. As massas são importadas da região de Hamburgo.

Juntamente com os croissants (R$ 7,50 a R$ 8,50), os brezels são os itens mais vendidos. O brezel (também conhecido como pretzel) é um tipo de pão salgado em forma de nó. Na versão tradicional, é decorado com sal grosso. Na Das Brot, é vendido a R$ 7,50 (tradicional, de 100 gramas). Com parmesão, custa R$ 7,90, enquanto a versão com Nutella sai por R$ 8,90.

Para a sobremesa, há os tradicionais donuts (R$ 6,20 na versão com açúcar e R$ 6,90 com chocolate). Entre os doces típicos alemães, está o apfelstrudel (torta de maçã: R$ 9,50). A torta de ameixa com streusel (farofa doce feita com manteiga, açúcar mascavo, farinha de trigo e canela) sai por R$ 9,50. O muffin com blueberry é vendido a R$ 9,90, mesmo preço do de chocolate.

Entre os pães, há o pão de girassol, que leva em sua massa 10% de sementes de girassol. O pão triangular também leva semente de girassol na receita, acrescida de linhaça, gergelim e flocos de centeio. Os preços dos pães integrais variam de R$ 35 a R$ 45 o quilo.

Empresa importa, armazena e distribui os produtos

Para se proteger das flutuações do euro, Mendes diz que os alimentos são adquiridos da Alemanha “em larga escala” e mantidos armazenados em um ambiente refrigerado, de onde são levados para as lojas. Cabe à Das Brot a importação e a distribuição dos produtos de acordo com a necessidade dos franqueados.

“As unidades não podem ter variação de preço. Hoje a Das Brot opera com um centro de distribuição para diminuir a oscilação do câmbio”, diz. Os sócios não divulgam o volume de pães e doces importados nem onde está localizado o centro de distribuição.

De acordo com o empresário, dos custos atuais da marca, 40% são referentes a câmbio, enquanto os 60% restantes são de logística, armazenamento e impostos.

Público-alvo é das classes A e B

O consultor do Sebrae-SP Ruy Soares de Barros diz que os interessados em adquirir uma franquia como a Das Brot devem pesquisar detalhadamente os locais para implantação do ponto comercial. “Por ser um negócio altamente segmentado, as lojas devem ser abertas em áreas cujo público-alvo seja das classes A e B.”

Na opinião de Soares, os mercados com grande potencial para expansão da marca são os de São Paulo e Rio de Janeiro. Ele faz uma ponderação em relação à região Sul do país. “No Sul, há muitas áreas com influência da colonização alemã e que

mantêm tradições da Alemanha, inclusive na alimentação. Nesses locais, portanto, não seria uma novidade.” Por outro lado, Soares diz que o produto oferecido é diferenciado, o que pode ser uma vantagem competitiva.

“O fato de os itens serem congelados gera uma tendência de redução de custos por meio da diminuição do desperdício”, afirma.

Fonte: UOL