Glúten e o pão nosso de cada dia


A polêmica envolvendo o consumo do glúten tem cada dia mais permeado os noticiários, consultórios e discussões entre as pessoas. Todos os dias em nosso estabelecimento, somos procurados por pessoas que querem continuar a consumir pães, bolos e massas mas que não querem consumir glúten pois imaginam que o simples ato de tirá-lo de seu dia a dia fará o milagre do emagrecimento instantâneo.

Como empresário envolvido com a polêmica, tento orientar as pessoas que procurem seu médico antes de embarcar em modismos e aventuras que podem não levar ao resultado esperado ou até mesmo em um agravamento do estado de sua saúde. Uma simples leitura em sites de emagrecimento ou de dietas mágicas leva o leigo a imaginar que uma mudança radical em seu padrão de consumo alimentar, suprimindo o glúten, poderá lhe dar o corpo dos sonhos em questão de semanas.

Existem aqueles que defendem que a proteína encontrada em grãos como trigo, aveia, cevada, entre outros, pode facilmente ser abolida da alimentação diária, sem nenhum dano à saúde, e existe uma vertente que defende que seu consumo é vital. O que é certo é que não existem verdades absolutas e que uma alimentação balanceada e de qualidade é aquela que deve ser adotada, ao menos que você tenha algum tipo de intolerância a essa proteína.

Existem pesquisas que relacionam o baixo consumo do glúten ao aparecimento de diabetes, Os estudos demonstraram que pessoas que consomem regularmente glúten em sua dieta têm menos propensão a desenvolver a doença. O que é preciso ficar claro é que o glúten não é maléfico para pessoas que não têm intolerância a proteína ou algum tipo de alergia, e sendo assim pode fazer parte de uma alimentação saudável e variada.

As pessoas relacionam a não ingestão do glúten à maior chance de perda de peso mas, na verdade, o que ajuda é a mudança nos hábitos alimentares. Quando se retira o glúten de uma dieta deixa-se de consumir produtos de alto índice glicêmico, o que faz com que a dieta tenha redução na ingestão de calorias, o que certamente levará à redução de peso do indivíduo.

Também é verdade que existem inúmeros alimentos sem glúten que são ricos em açúcar e com alto índice glicêmico, o que o torna um alimento nada saudável e não indicado para quem quer perder peso. Por outro lado, existem inúmeras formas de se consumir glúten sem se sentir culpado, privilegiando os produtos que utilizam farinha integral, por exemplo, tais como em alguns pães e massas.

O glúten não é vilão, é uma proteína vegetal que fornece substrato para várias funções celulares, mas assim como qualquer alimento consumido em excesso poderá fazer mal à sua saúde. O consumidor tem que ficar atento pois nem sempre os alimentos chamados de “gluten free” são alimentos com menos calorias. Não existe nenhum estudo que comprove que a simples retirada do glúten da dieta leva a pessoa a perder peso. Isoladamente isso é uma perda de tempo e um risco.

O certo é que o sucesso de uma dieta depende primeiramente da orientação de um profissional da área medica e de um nutricionista, de exercícios rotineiros, de uma alimentação variada e de qualidade e que você se sinta feliz com sua rotina, sua qualidade de vida e com aquilo que você enxerga no espelho. E que o seu pão de cada dia possa fazer parte da rotina sem tanta culpa, com equilíbrio e escolhas adequadas.

Fonte: MARCIO RODRIGUES